Pages

Homenagem ao Craque

Antônio Eduardo dos Santos, conhecido no meio o futebol como Leitoinha, nascido aqui em Ibicaraí, no ano de 1966, começou a jogar futebol como goleiro, no juvenil do Santos de Gilberto na década de 1970 do século passado, também passou pelo Flamengo Força Jovem de Merica, no juvenil e no adulto. Ainda aqui em Ibicaraí atuou também nas equipes do Independente, 22 de Outubro e Caxias.
No futebol profissional passou por vários clubes, dentre eles: Botafogo Sport Club de Salvador, ADJ de Jequié, Vasco Esporte Clube de Sergipe, Sport Club Penedense de Alagoas, Democratas, Londrina e Clube Atlético Juventus de São Paulo.
Foi campeão do Intermunicipal pela Seleção de Ibicaraí, no seu único titulo em 1981, sendo o goleiro titular. Aqui em Ibicaraí foi campeão pelo 22 de Outubro em 1988, e pelo Caxias em 1993.

Atualmente mora em Embu das Artes, Região Metropolitana de São Paulo, na Microrregião de Itapecerica da Serra, no estado de São Paulo, mas, continua praticando o futebol nos finais de semana. Sempre que pode vem a Ibicaraí visitar os amigos e familiares.


Sebastião José dos Santos (Bebé), nascido em Salvador-Bahia, no dia 20 de janeiro de 1928, chegou em Palestina, hoje Ibicaraí, ainda muito jovem, depois de uma passagem por Piranjí, hoje Itajuípe, Durante muito tempo, tornou-se funcionário publico municipal, exercendo cargos de confiança no Poder Executivo.

Sua vocação maior sempre foi o futebol, onde iniciou a sua carreira de jogador, em 1949, pelo Ibicaraí Esporte Clube, onde foi campeão daquele ano, ao lado de Osmar Estrela, Antônio Macário, Satu, Nivaldo Melo, Valdo, Pepê, Washington e os irmãos Carmecito e Vivaldo Maciel entre outros. Em 1955 jogou no Flamengo de Boca Rica, ao lado de Chico Guenen, Ataliba, Antônio Maciel, Edson Maciel, Bicudo, Antônio Barreto, e Mil, Mãozinha, Boca Rica, Nezildo , Ives, Nelson Papo. Já em 1958 jogou pelo CEM - Centro Esportivo Municipal, ao lado de Chico Guenen, Vando, Eduardo, Bebé, Nininho, Sergipe, e Adelmo, Vardo, Boca Rica, João Calazans, Nelson Papo e Egdemo.

Jogou em 1960 pelo Pérola Futebol Clube campeão daquele ano, ao lado de grandes craques como: Nelson Papo, Edson, Luiz Lopes, Vivaldo Maciel, João Crua, Vardo, Humberto, Tampinha, Betinho, Carmecito e Raimundo, atuou até o ano de 1965.

Em 1966 Bebé, começa a defender o Esporte Clube Juventus, até 1970, quando fez parte do grande time, campeão invicto daquele ano, com jogadores como: Agnaldo, Nivaldete, Ismênio, Mário SAAE, Douglas, Humberto, Lio Pena, Bebé, Luiz, Machado, Rosival, Eraldo, Nanado, Cadeado, Categoria, Nengo, Zé Eduardo, Fernando e outros.

No inicio da década de 70 começa a sua trajetória vitoriosa de treinador, pela equipe do Santos Futebol Clube, equipe que ele mesmo fundou ainda em 1969, e sagrou-se campeão municipal em 1974. No ano de 1975, assume a Liga Ibicaraiense de Futebol após a renuncia de José Nery de Santana em 09 de abril de 1975, para um mandato tampão. No mesmo ano com a escolha de Helio Tavares de Souza para a Presidencia da Liga, Bebé é escolhido para ser o treinador da melhor Seleção de Ibicaraí de todos os tempos, que foi Vice Campeã do Intermunicipal de 1975, que terminou em 1976 ao perder a final para Cacheira. 
Mas, em 1981 na gestão de Zé Dias, consegue o titulo de Campeão do Intermunicipal e comandou jogadores como: Leitoinha, Poti, Jaime, Jorgão, Coronel, Davi, Paulista, Gil, Reni, Paulo Vagal, Nêgo, China, Dadau, Silvio, Kergnaldo, Jorge Moura, Faustinho e Sinha e outros. Pelos anos seguintes foi figura marcante no comado da nossa Seleção, sendo considerado o melhor treinador de futebol de Ibicaraí de todos os tempos.
Depois de morar alguns anos em Itabuna, em 2016, Bebé volta a Ibicaraí para morar, sempre frequenta o Euclidão em dias de jogos, e relembra os dias de glórias ali vividos.


Gildemberg Henrique de Lima, Codinome Gil Lima (Labal), nascido 29 de junho de 1958, na Fazenda Deus Ajude, em Ibicaraí-Bahia.

Iniciou no futebol, por vários campinhos de Peladas (Babas), no Botafogo de Gilberto Monstro com o seu Compadre Cinquentinhas, Beto Veio, Gel e Paulo Vagal, Sérgio Rosa, Nêgo Tinho, nas Quadras do Jardim da Igreja (hoje praça Regis Pacheco) com Lulinha, Dadau, Jorge Acari, Laerte, Ubaldo, Quinho, João Terrível. Jogou nos Santos de Sr. Bebe, com Bito, Paulista, Biziu (Dorval), Pancho e o saudoso Pelé. Foi convidado a jogar no Perola do eterno Bôca Rica, o primeiro Clube Amador que disputou o Campeonato da Cidade, era reserva de Requeijão,(Domingo), depois foi jogar no Guarany, do fundador e treinador Nazinho, jogou com Beijú, Nozinho, Cabila (um dos maiores finalizadores do Futebol de Ibicaraí), Fui convocado aos 16 anos a fazer parte da Seleção da Cidade, onde disputei um Intermunicipal, na ocasião no dia da cidade vieram jogar Itabuna E.C - Leonico de Salvador – para enfrentar as Seleções A e B da Cidade, jogou pela Sel. B, fiz o gol da vitória contra o Leônico. Dai foi para o Juvenil do Itabuna, onde fui artilheiro jogando ao lado de Menon (A lenda) Danielzinho, Barril, Gilberto, Beiço. Dia da cidade em Itabuna veio o Vasco, joguei na Preliminar contra a Seleção Amadora de Itabuna, com Sabará, Wernec, Sapatão, marcou cinco(5) gols na vitória de 7X2, dai foi convidado para viajar e jogar no juvenil do Vasco, onde joguei ao lado de Dudu, João Luis, Indio, em seguida foi emprestado ao Figueirense(SC). Retornou ao Itabuna Esporte Clube já como profissional onde disputou o Brasileiro que o clube disputou perdeu por 7X1 para o Guarany em Campinas, ano que o Bugre foi o Campeão Brasileiro de 1978, motivo de gozação do amigo Careca, ate hoje quando se encontra. Depois vieram Goiatuba(GO), Convocado pra disputar o Campeonato Brasileiro de Juniors Sub- 20, Guairense (SP), Botafogo Ribeirão Preto(SP), Mirassol(SP), Moto Clube(MA), onde foi tri-campeão e artilheiro Maranhense, (4º Artilheiro do Brasil), destaque da Revista Placar.
Jogou no Santa Cruz de Recife(PE) ao lado de Zé do Carmo, Ricardo Rocha, Ramon e Cia, Clube do Remo(PA), Sampaio Corrêia (MA) Bi-Campeão Maranhense, também no Ituano F.C.(SP) Campeonato Paulista. Foi contratado pelo Royal Football Club Seraing (Bélgica), KVWaregem (Bélgica), Grevemacher (Luxemburgo), Vila Real (Portugal), Fernandes Vial (Chile).
Hoje atua como Agente de Atletas entre o Brasil e o Mundo Esportivo, onde é sócio proprietário da GHL-Management - Agenciamento Esportivo.
Lembra a riqueza de aprendizado que teve com o amigo Profº. Nicécio Bráulio Dantas, e que faz uso no dia a dia ate hoje, agradece a todos os mestres que de alguma forma contribuiu no enriquecimento na vida esportiva. 

Renildo Diogo Nascimento, mais conhecido no meio do futebol como Non Bahia, nascido aqui em Ibicaraí, no dia 13 de novembro de 1974. Começou no futebol nas divisões de base do Flamengo Força Jovem de Waldemir Rodrigues, com 13 anos.
Com 16 anos atuou no CSA, em seguida no Grêmio e Luxo, todos estes, na categoria juvenil. Com 23 anos em 1997, foi convocado para a Seleção de Ibicaraí, e disputou o Intermunicipal daquele ano. Em 1998 foi para Almadina e joga pela seleção daquele local, na disputa do Campeonato Intermunicipal daquele ano. Em 1999 volta a Seleção de Ibicaraí, nos anos seguintes, em 2000 jogou por Camacan, 2001 por Itapé, 2002 por Iguaí, 2003 e 2004 por Coaraci, 2005 devido a contusão ficou fora de atividade, em 2006 chegou a treinar no Linhares, time profissional do futebol Capixaba, no mesmo ano volta a Ibicaraí, em 2007 volta a defender a Seleção de Ibicaraí pela terceira vez, em 2008 joga pela ultima vez o Intermunicipal pela Seleção Uruçuca.
No futebol de Ibicaraí, jogou por Flamengo Força Jovem campeão em 1998, Salomea 2000 onde foi semi-finalista, Novo Horizontino campeão em 2001, Unidos Cajueirense campeão em 2002, BNEC campeão em 2006.


Vitório Brito Silva ou simplesmente Vitório, nascido no município de Poções, no dia 1º de agosto de 1948, ainda jovem veio morar na cidade de Floresta Azul, e começou a jogar futebol, na equipe do Palmeiras de Floresta Azul. Jogador de fino trato com a bola, atuava na posição de ponta de lança, como era conhecido na época. 
Com 18 anos de idade veio defender as equipes do futebol ibicaraiense, dentre elas destacamos o Pérola e Juventus, também jogou pela Seleção de Ibicaraí nos anos de 69 e 70. Fora daqui jogou na equipe do Ipiranga de Ilhéus, Seleção de Ilhéus onde foi campeão em 1966, e seleção de Ipiaú onde foi vice em 1973.

Vitorio cita que, o momento mais difícil no futebol, foi quando o mesmo rompeu os ligamentos da perna esquerda em 29 de fevereiro de 1972. Hoje vive na cidade que escolheu pra morar a mais de cinquenta anos, Floresta Azul.

Sildo Ferraz da Trindade, nascido em 11 de janeiro de 1954, aqui na cidade de Ibicaraí. Começou a jogar futebol ainda garoto no tempo da escola, onde era adepto do futebol de salão, em 1970 com 17 anos incompletos, começava a dar os primeiro passos como atleta de time, atuou como aspirante do Santa Izabel, na posição de lateral esquerdo, tempos depois se tornou zagueiro de oficio, mais tarde, ingressou na equipe do Santos de Sebastião José dos Santos, e fez parte da equipe campeã municipal de1974.

Teve passagem pelo Fluminense da Saloméa de Sergipe, depois jogou em épocas alternadas nas principais equipes do nosso futebol, Guarany e 22 de Outubro, onde foi campeão em ambas.

Na seleção de Ibicaraí fez parte por vários anos, e tudo começou em 1975, fazendo parte do grupo que foi vice campeão do Intermunicipal do mesmo ano, sem muitas chance de jogar, adquiriu experiência, fez sua ultima apresentação, vestindo a camisa gloriosa de Ibicaraí em 1986. Prosseguiu jogando em times, até encerrar em 1993 jogando pelo Guarany.
Dentre tantos jogadores do nosso rico futebol, ele citou Géo como seu maior ídolo. Hoje ele atua como atleta de final de semana, no Clube dos Quarenta. Na área profissional desenvolve atividade no comercio local.


Givaldo Almeida Silva, apelidado como “Gil”, e aqui em Ibicaraí recebeu um outro apelido como Indio, hábito dos ibicaraiense chamar os florestenses naquela época. Nascido em Floresta Azul, no dia 19 de fevereiro de 1962, filho de D. Alaide Barbosa e Sr. Zezinho da Farinha, casado com Regina Almeida, com quem teve dois filhos, Gilmar e Vanessa.

Gil começou ainda garoto lançado por Miguel Careca, e depois veio a ter uma oportunidade, em seguida através de Demir, fundador e técnico do Internacional, ao qual teve a oportunidade de mostrar o seu futebol para a região. Na equipe foi campeão em várias competições dentre elas o campeonato municipal de Ibicaraí em 1987.

Jogador de boa técnica, era um verdadeiro curinga, pois, atuava em todas as posições na defesa, e ainda quando precisava jogava no meio de campo. Todas estas qualidades lhe valeu a convocação para a seleção ibicaraiense junto com mais cinco atletas da cidade de Floresta Azul, apenas ele foi aproveitado, desta forma, escreveu o seu nome na história do futebol baiano, sendo Campeão do Intermunicipal de 1981, vestindo a camisa gloriosa da Seleção de Ibicaraí.
No auge da forma, recebeu o convite para defender o Botafogo da capital, time profissional do futebol bahiano, mas, preferiu se dedicar aos estudos. Continua jogando futebol aos finais de semana em São José dos Campos-SP, onde se estabeleceu há mais de 30 anos.


Nascido em Itabuna no distrito de Ferradas, em 8 de agosto de 1952, Waldemir Rodrigues Santos, mais conhecido com Mérica, iniciou a sua trajetória futebolística no Botafogo de Ferradas, com 17 anos de idade no ano de 1969, depois foi contratado pelo Internacional da cidade de Barro Preto onde disputou campeonatos locais e regionais até 1973.

Em 1974 chegou a Ibicaraí jogou no Flamengo do distrito do Cajueiro. Em 20 de março de 1976 fundou o Flamengo Força Jovem, apenas com um trabalho dedicado as divisões de base, o qual faz até os dias de hoje. Ao longo deste tempo foi responsável pela revelação de Jogadores que se destacaram no futebol de Ibicaraí, e alguns passando por equipes profissionais, dentre eles citamos: Leitoinha (goleiro), Jaime, Lulinha, Dadau e Nêgo campeões no intermunicipal de 81 pela nossa Sel. de Ibicaraí.


Jogadores com passagem em equipes profissionais como foi o caso do goleiro Alicate que atuou no futebol brasiliense, de Betinho que atuou no futebol catarinense na equipe do Joinvile, e Hauss com passagem pelo futebol paulista nas equipes do Palmeiras e América de Rio Preto, além deste tivemos Regis, Faustinho e Madalena que jogaram por muito tempo defendendo a Seleção de Ibicaraí em campeonatos intermunicipais e nas principais equipes do nosso futebol Ibicaraiense.

De 1976 a 1980 jogou nas tradicionais equipes: do Guarani, equipe com maior numero de títulos do futebol Ibicaraiense e o Santa Izabel, a equipe mais velha em atividade no nosso futebol. 

Em 1980 a equipe do Flamengo Força Jovem participou pela primeira vez do campeonato municipal de Ibicaraí, Mérica jogou por apenas dois anos, além de Presidir a equipe fazia parte do elenco onde jogava no meio de campo, jogador de muita técnica teve a oportunidade de muitas vezes defender a Seleção de Ibicaraí, um dos seus jogos memoráveis foi o amistoso contra a equipe do Leônico, equipe que fazia parte da 1ª divisão do futebol baiano,


De 1982 pra cá, ocupou por varias vezes alternando os cargos de Presidente e treinador do Flamengo, sendo campeão municipal, varias vezes com a equipe juvenil e campeão Municipal amador em 1998.


Lembrando que desde 1976 até os dias atuais ocupo profissionalmente o cargo de administrador do Estádio Euclides Rosalino dos Santos (Euclidão), e continua com a escolinha de futebol. Recentemente também esta se dedicando a Associação de Futebol Veterano, denominada Amigos e a Bola.




Adauto Brasileiro do Nascimento, ou simplesmente ABN, goleiro de baixa estatura para os padrões da posição, mas, tinha boa colocação, e muita elasticidade, nasceu aqui em Ibicaraí, no dia 16 de julho de 1971, iniciou no futebol em 1989, com 18 anos na Ponte Preta de Leguelé, time de várzea da época.

Em 1992, teve a sua primeira oportunidade de disputar um campeonato municipal, jogou pela equipe do CSA e foi campeão. Na época jogou algumas partidas na condição de goleiro, e nas finais atuou como atacante.

No futebol local além do CSA, defendeu também o 22 de Outubro, Guarany, Flamengo e Caxias. As boas atuações lhe valeram convocação para a seleção de Ibicaraí na disputa dos intermunicipais de 1993 e 1994. Atuou nas equipes da Matonense de Itapé, Lontra de Iguaí e PSA de Floresta Azul, Palmeiras de Itabuna.

Um fato marcante, que ele não esquece, é que por opção do treinador perdeu a posição para um centroavante, para atuar como goleiro. Abandonou a posição de goleiro em 1995, após discussão no vestiário, com um companheiro de equipe, depois de ter perdido por 2 X 1 para a seleção de Itagibá, na casa do adversário. Oito anos volta atuar.


Hoje ABN, pratica o seu futebol em Associações de Futebol e no clube dos 40, e para não sair do meio esportivo, empresta o seu talento na condição de apresentador de programas, na Web Rádio ABN, de sua propriedade.


José Nilson Santos, ou para os futebolistas “Oster”. Natural daqui de Ibicaraí, nasceu no dia 29 de abril de 1964.

Começou a jogar no Guarany Esporte Clube, único time a defender no futebol ibicaraiense, onde foi campeão municipal em 1983, 1985 e 1986. Era considerado um jogador bom na marcação, de bom passe, e finalizava muito bem. Isso lhe rendeu a condição de um dos poucos curingas no futebol local, pois, atuava em diversas posições do campo.

Em 1981, foi inscrito e campeão pela Seleção Ibicaraiense campeã do Intermunicipal de 1981, como era muito jovem não teve oportunidade de jogar. Anos posteriores foi convocado para a seleção e disputou alguns campeonatos Intermunicipais. Em 1991 foi campeão da Copa Cacau pela nossa seleção.

Oster teve como seu grande incentivador no futebol, o seu companheiro de Guarany e Seleção Audiley Calazans. Cita o goleiro campeão de 1981, Leitoinha, como seu maior ídolo no futebol de Ibicaraí. Atualmente mora em São Paulo, há 15 anos, mas, visita, Ibicaraí sempre que pode.



Davi Emilio da Silva Filho ou simplesmente  Davi, nasceu na cidade de Ilhéus-Ba., no dia 13 de junho de 1956, chegou a Ibicaraí em 1974, foi gerente do Supermercado Messias, e aqui permaneceu por dez anos.
Tornou-se ao lado de Japú, como um dos maiores goleiros de todos os tempos na história do Guarany Esporte Clube, único time ao qual defendeu no futebol da Terra Santa, onde conquistou os títulos municipais de 1980 e 1981.
Na Seleção de Ibicaraí, Davi também fez história, e ao lado de Sinha, e Jorjão, pois, foram os únicos jogadores a fazer parte das seleção de Ibicaraí vice campeã em 1975 e campeã de 1981 do campeonato Intermunicipal.
Hoje Davi mora na cidade de Ubaitaba há 32 anos, mas, nunca esquece dos bom momentos que viveu no futebol local.



Jose Gilvan dos Santos ou simplesmente Gilvan, atleta nascido aqui em Ibicaraí, no dia 07 de dezembro de 1969, revelado nas divisões de base da Sociedade Esportiva Flamengo Força Jovem no inicio dos anos 80, época em que o futebol era levado a sério pelos atletas da época.

Defendeu várias equipes do nosso futebol dentre elas: Flamengo, CSA, Caxias, 22 de Outubro, BNEC, jogou também no Santos de Gilberto hoje morando no céu, e no Bahia da cidade de Itororó. Aqui em Ibicaraí foi campeão Municipal pelas equipes do CSA em 1992, pelo Caxias em 1993, pelo Flamengo em 1998, pelo BNEC em 2006, já no final da carreira.

Em 1991 foi campeão pela seleção de Ibicaraí da Copa Cacau, uma das etapas do Campeonato Intermunicipal da época. Por falar em Seleção de Ibicaraí, Gilvan jogou nos anos de 1988, 1990, 1991, 1992, 1995 e 2000. Em 1993 jogou pela Seleção de Floresta Azul, em 1994 jogou pela Seleção de Itororó, em 1996 e 1997 jogou pela Seleção de Almadina, em 1998 jogou na Seleção de Nova Canaã, tudo isso em Intermunicipais, o que os credenciou como um dos principais jogadores do nosso futebol.

Em 1992 em grande fase no seu futebol, Gilvan despertou interesse da Associação Desportiva Jequié, time do futebol profissional baiano, devido a uma contusão na região pubiana não ficou, o mesmo aconteceu no Poções, desta vez uma contusão no tornozelo, os impediu de jogar naquela equipe, o que causou uma grande frustração ao nosso atleta. Em 2008, já com a carreira encerrada nos gramados do Euclidão, Gilvan voltou a Seleção de Ibicaraí, desta feita como técnico, a convite de José Néri de Santana, mas a experiência não foi positiva, como foi na época de jogador.

Hoje Gilvan continua jogando o seu futebol no Clube dos Quarenta nas equipes de Máster, e de vez em quando no Euclidão com os amigos aos sábados, diga-se de passagem, teria futebol pra continuar jogando, pois a categoria é a mesma de sempre.




José Calazans Santos Junior, ou Madalena, nascido em 11 de maio de 1965, aqui em Ibicaraí-Bahia, se tornou um dos maiores jogadores que vi atuar em território ibicaraiense, pra mim gênio da bola. Nos dias hoje jogaria em qualquer equipe do futebol brasileiro, pois, era habilidoso, goleador, daqueles que chamava a bola de você, tamanha era a intimidade.

Iniciou a sua carreira no futebol de Ibicaraí jogando nas divisões de base da Sociedade Esportiva Flamengo Força Jovem, mais conhecido e carinhosamente chamado pelos desportistas de, Flamenguinho de Merica.

Mas foi no seu time de coração, o Guarany que começou a despontar para o futebol de verdade, o que aos 15 anos lhe valeu a escalação para a Seleção Campeã do Intermunicipal, foi inscrito perante a Federação Bahiana Futebol, não atuou em nenhum jogo, mas, foi campeão, pois, fazia parte do grupo.

Em 1984, foi campeão juvenil pelo Guarany, sob o comando do Técnico Gilberto. No ano seguinte em 1985 jogando na equipe principal do Guarany foi campeão Municipal, e Bicampeão em 1986. Em 1993 no seu primeiro campeonato fora do Guarany, jogando pelo Caxias conquista outro titulo Municipal, em 1998 jogando pelo Flamengo foi novamente campeão Municipal. Foi campeão pelo torneio dos Campeões pelo 22 de Outubro. No futebol de Itororó foi campeão pelo Asa Branca, e campeão Municipal de Ituberá pelo Inferno Verde.

Foram vários anos disputando Campeonatos Intermunicipais pela Seleção de Ibicaraí, era o xodó da galera. Jogou nas Seleções de Itororó, Almadina e Floresta Azul em Intermunicipais. Jogou profissionalmente no futebol Matogrosense, no Alta Floresta, esteve na Europa, atuando futebol Belga.

Na sua despedida como jogador de futebol voltou em 2009 para o Guarany, e quisera o destino que encerrasse com mais um titulo, sagrando-se Campeão Municipal, o terceiro titulo pelo seu time do coração, no qual se tornou no maior ídolo de todos os tempos.

Hoje Madá continua jogando seu futebol nos clube do CCI, e no C40, ainda com a velha maestria de sempre, lógico que as pernas não obedecem mais o seu pensamento, mas quem não teve a oportunidade de ver jogando nota de imediato, o quanto jogava, pois o trato com a bola e diferenciado.




Nascido em 11 de maio de 1958, Geraldo Alves da Silva, para os amantes do futebol jogado com classe, e órfãos da genialidade, conhecido por Géo, foi um dos melhores jogadores produzido no futebol de Ibicaraí entre as décadas de 70 e 80.

Géo era um destes fenômenos que os deuses do futebol nos enviou, foi um dos jogadores mais completos que vi por aqui, quantas saudades daquelas tardes de domingos no Euclidão, em que nos esbaldávamos de alegria ao ver tanta elegância ao bater na bola.

Começou ainda criança no Santos de Bebé em 1968, depois se ausentou de Ibicaraí, e ao retornar jogou no Juventus. Aqui ainda jogou no 22 de Outubro, Guarany, Bahia, Expressinho e Terra Santa. Conquistou cinco títulos municipais, dois pelo Bahia 1978 e 1982, dois pelo 22 de Outubro 1979 e 1988, e um pelo Juventus, em 1977.

Jogou na Seleção de Ibicaraí de 1977 a 1989, exceção de 1980, 1981 e 1985. E uma das suas frustrações foi não ter feito parte da seleção campeão do Intermunicipal de 1981, pois, na época era profissional, e jogava no Itabuna Esporte Clube, ainda como profissional jogou no Santos de Alta Floresta de Mato Grosso onde foi artilheiro.

Uma das suas grandes glorias no futebol, foi em 10 de maio de 1981, atuando pelo Itabuna, jogando na velha Fonte Nova contra o Redenção, em jogo valido pelo campeonato baiano de 1981, quando marcou o gol da vitória, de calcanhar e foi escolhido naquele dia como o gol mais bonito do programa Fantástico da Rede Globo.

Para os mais jovens Géo deixa uma mensagem, “É preciso cabeça no lugar, muita humildade, e acreditar nos seus sonhos”.




Adalberto Resende Santos, para nós simplesmente Dadau, nascido em 10 de maio de 1961, foi sem duvida um dos maiores atacantes que jogou por aqui, era um artilheiro nato. Começou a jogar futebol aqui em Ibicaraí nas divisões de base do Flamengo Força Jovem, de Merica. Teve como grande incentivador o seu pai João Crua, grande goleiro do passado, em 1978 com 17 anos iniciou jogando futebol em campeonato pelo Bahia, jogou três anos consecutivos, de 1978 a 1980, conquistando o titulo de 1978, em 1981 jogou pelo Guarany conquistando o titulo do mesmo ano, em 1982 volta ao Bahia e conquista o segundo titulo pela equipe, em 1983 volta novamente para o Guarany e conquista mais um titulo, onde encerrou a sua carreira.

Começou a jogar na Seleção de Ibicaraí em 1978 com 17 anos, e foi campeão em 1981 do Campeonato Intermunicipal pela nossa Seleção. Encerrou a sua carreira ainda muito jovem em 1984, devido a falta de tempo para treinar e algumas contusões.

Tem o orgulho de dizer que foi o maior incentivador, de um dos maiores ídolos do nosso futebol que é Madalena. Seus maiores ídolos aqui foram Gel, e seus irmãos Jorjão e Lulinha. Cita o jogo inesquecível, a decisão de 1981 contra o 22 de Outubro, quando o Guarany venceu por 2X0, e ele marcou o segundo gol, e sagrou-se campeão.

Dadau diz que na sua época todos jogavam por amor a camisa, hoje a coisa mudou, os jogadores só jogam ganhando algum dinheiro, mas ele não reclama, é o sistema. Aos jovens que estão iniciando ele diz que, treine bastante, e seja digno no seu dia a dia.

O mesmo mora há 13 anos na cidade de Itororó, mas sempre que pode vem a Ibicaraí, rever os amigos e acompanhar o futebol local.




José Monteiro Ferreira, mais conhecido como Boca Rica, apelido adquirido no final da década de 40 em um jogo entre o Flamengo de Itabuna contra o Flamengo de Ilhéus, isto por que tinha alguns dentes cobertos de ouro, nascido em 08 de março de 1927, no Distrito de Ferradas, mais precisamente na fazenda Rio do Cacho, município de Itabuna. Iniciou em equipes de futebol aos 21 anos em 1948 no Flamengo de Itabuna, neste mesmo ano foi campeão, depois chegou ao tetra campeão em 49, 50 e 51.
Em 54 e 55 conquistou o bi-campeonato, e foi bicampeão em 57 e 58, todos estes títulos pelo Flamengo de Itabuna, no ano de 1958 paralelo ao campeonato de Itabuna, disputava o campeonato da cidade de Itajuípe e foi campeão pelo Santa Cruz, e disputou uma final e foi campeão municipal de Itapé. Chegou a Ibicaraí em 1955, começou no futebol ibicaraiense na equipe tradicional da época, o Pérola, onde jogou de 1955 a 1958. No final do ano de 1958 foi jogar no Flamengo de Hercílio Nunes onde foi campeão em 1959, único titulo da equipe na sua existência, hoje a equipe não existe mais.

Em 1955 quando chegou aqui em Ibicaraí, começou a jogar na Seleção da época em jogos amistosos e competições pela região, onde jogou até o inicio dos anos 70. Em 1962, foi campeão em Almadina por uma equipe de Floresta Azul.      Boca Rica era tido como um craque, e artilheiro em todas as equipes que jogou, mas foi no campeonato de 1955, em Itabuna, que bateu a sua marca e fez 32 gols sendo o artilheiro da competição. A imprensa local denominava na época de o “endiabrado e o incomparável”. Boca Rica fala de muitos jogos memoráveis dentre eles Flamengo de Ibicaraí 3 X 1 Brasil de Buerarema, no jogo de volta lá em Buerarema o Flamengo venceu novamente pelo placar de 2 X 0, cita também Flamengo 2 X 0 Pérola em 1959, época do titulo do Flamengo contra o seu grande rival da época.

No inicio dos anos 90, Boca Rica fundou a Associação Esportiva veteranos de Ibicaraí, que existe até hoje, onde os babas acontecem aos domingos na Vila Santa Isabel. Hoje aos 82 anos de idade, já não tem uma vida ativa no esporte, mas comparece sempre ao estádio Euclides Rosalino dos Santos, para acompanhar os jogos, e contar as histórias do glorioso futebol de Ibicaraí.


11 comentários:

  1. PARABÉNS SANDOVAL, O BLOG FICOU MELHOR AINDA, COM CERTEZA ABSOLUTA VC NÃO PODE PARAR COM ESTE TRABALHO TÃO IMPORTANTE, AGORA COMO NÓS ESTAMOS TRILHANDO O CAMINHO DO RÁDIO, SERIA LEGAL RESGATARMOS POR ONDE ANDAM OS CRAQUES DO RÁDIO DOS TEMPOS DE OURO DO NOSSO FUTEBOL.

    ResponderExcluir
  2. Anônimo10:48

    SANDOVAL, DIFÍCIL SÃO OS VÍDEOS DA ÉPOCA DESSES JOGOS, IBICARAÍ X ITABUNA, 28 DE DEZEMBRO(ITAPÉ) X ITABUNA. ESSE BLOG É COMO ENTRAR EM CAMPO DE NOVO UM JOGO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Há uma dificuldade, enorme pra conseguir o material, esse trabalho de pesquisa já completou nove anos, e muita coisa pra descobrir ainda, um abraço.

      Excluir
  3. meu nome é josé adilson gonçalves pena fui jogador do flamenguinho na decada de 80 era conhecido como adilio e gostaria que que fosse publicada algumas fts do flamenguinho de 80 a86 hoje vivo em salvador e sempre que posso vou ai rever os amigos um abraço para o merica comandante da epoca

    ResponderExcluir
  4. o santos de gilberto,ainda existe ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Santos de Gilberto não existe mais fisicamente, mas, vivo na lembrança de muitos, um abraço.

      Excluir
  5. gostei de rever essas foto da ate lembrança da minha infançia

    ResponderExcluir
  6. Que massa essa dedicatória aos craques amadores, meu sonho ter esse reconhecimento gravado na historia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você já jogou aqui? Em que epoca, e por qual equipe?

      Excluir

Agradecimentos:

Carlos Lima, Nivaldo Melo+, Miu Alfaiate, Waldir Montenegro, José Raimundo Dias, Adelmo de Tota, Ionaldo Nunes, Eduardo Miranda, Idma Monteiro, Valtaire Alves Moreira, Agnor Barbosa, Jerry Adriane, Antônio Raumundo, Sr. Dedé, João Messias, Ernane Vasconcelos, Naziozênio Raimundo, Idalicio Pascoal, Erasmo Carlos, Péricles Araújo, Carlos Barbosa, Waldemir Rodrigues, Josevan Alves Dias, Edvaldo Moreira da Silva, Ronilson Menezes, Luiz Moura, Antônio Narciso, João Leal, Vivaldo Assunção, Raimundo, Mimi, Mano e Nelito de Floresta Azul, Agnaldo Gama, Josuel Nunes da Cruz, Antônio Lins de Araújo, Profº Julival Pereira, Uracy Costa, Ubaldo Costa, Domingão do Andrezão, José Gilvan Santos, Raimundo da Vila, Profª Márcia, Zé Mago (Faz. Estrela da Paz), Raimundo Nascimento, Aldair Campos, Givaldo Taxista, Morcher do Paraguaçu, Antônio Macário Filho, João Machado, Edmundo Gonçalves, Noélia Costa, Joselito Leal, Jorge Fernandes, Claudionor José de Lima, Ordival Gama, Adonai PM, Adilson da Mata, Portugal Alfaiate, Jardel Oliveira, César Bernardino, Gilson Ribeiro, Waldir (Neném), Elias Dias, Raimundo Conceição, Guilherme da Bandeirantes, Rita Braitt, Tonico e Lali Brito, Dona Rosalina, José Pereira, Edna Cardoso (SESP), Eduardo Reis, Dona Hélia, Paulo Roberto Dias, César Ribeiro, Elpidio Bispo, Moisés Calazans, Regis da Feira, Leda Alves, Álvoro Caldas, Mário Abreu, Rodrigo Conceição+, José Sebastião dos Santos, Arnaldo Esteves, Zenildo Cerqueira (Quiquinho +), Antônio Macedo, Murilo Benevides, Reinalto Souza.

Depoimento:

Eu acompanhei a incansável luta de Sandoval Novais, para a realização desta obra, que tanto engrandece o passado e o presente da história futebolística da nossa querida Ibicaraí. Através desta imensurável força de vontade, é que a pesquisa aqui publicada torna - se um abrir de olhos, em relação à atenção, com que devemos tratar às gerações futuras que hão de se envolver com o esporte, aqui o leitor (a) encontrará a real narrativa, verdadeiramente encontrará a informação colhida literalmente na fonte, sempre narrada a partir de personagens que atuaram diretamente na história é isto que dá notoriedade e credibilidade a esta obra. Sou testemunha das privações a que Sandoval teve que se submeter por amor ao esporte, mas graças a sua perseverança é que o mundo hoje, tomar conhecimento dos bravos heróis do nosso esporte, esta narrativa certamente será imortalizada, e com certeza, em um futuro próximo teremos o reconhecimento e apoio aos atletas da nossa querida Ibicaraí – Bahia.

Mais um pouco da história

Se ligue na melhor