Pages

Os Irmãos


 
Boca Rica e Nelson Papo
Ao longo dos anos vários foram os irmãos que se destacaram no futebol de Ibicaraí desde  a velha Palestina, citamos alguns: Boca Rica, jogou no futebol itabunense, precisamente no Flamengo onde foi campeão em 48, 49, 50, 51, 54, 55, 57 e 58,  e no Santa Cruz de Itajuipe também em 1958, em 59 já no futebol de Ibicaraí foi campeão pelo Flamengo de Hercílio Nunes, um senhor jogador, artilheiro, um  craque na expressão da palavra. Seu irmão Nelson Papo, baixinho, magrela, mas um marcador carrapato, desses que segurava e não largava, jogava na lateral direita, as vezes atuava como goleiro. João Crua bom goleiro, e as vezes  atacante, comparado nas devidas proporções, com Dada Maravilha na maneira de marcar gols, seu irmão Chico Guenen, era um zagueiro extraordinário, de uma técnica refinada. Os irmãos Maciel, Carmecito jogava como ponta, canhoto como raras as vezes se viu, veloz, agressivo, um chute potente e goleador. Antônio Maciel jogava no Palmeiras, time que não tinha uma grande defesa, mas tinha um ataque excelente, por isso perdia ou ganhava por placares estranhos, 9X5, 7X4, 6X3 etc. Vivaldo, um leão no meio de campo ou na defesa do Pérola Futebol Clube. Edson, uma muralha no gol Flamengo onde era ídolo, foi para Itabuna jogou no Grêmio, mas nunca foi lá o que foi aqui. Borges, o mais fraco, tecnicamente falando, também atuava na posição de goleiro. Geraldo e Domingos Fininho bons nas posições onde jogavam. Na década de 70 e 80 surgiram Pancho e Dorval ambos bons jogadores, o primeiro fez parte das seleções de 1975 vice campeã, e fez parte do elenco de  1981 campeão do Intermunicipal. Os filhos de João Crua, Jorjão jogador de técnica invejável, e de muita força física também, fez parte das seleções de 75 vice campeã e de 81 campeã do intermunicipal, ambas como titular, um dos melhores zagueiros de todos os tempos. Dadau um dos maiores atacantes da história do futebol de Ibicaraí, foi o atacante titular da seleção ibicaraiense  campeã do intermunicipal de 1981, Lulinha um bom jogador de boa técnica e jogou nos principais times de Ibicaraí. Tivemos Zé Eduardo e Gel, o primeiro, um craque, habilidoso, tinha intimidade com a bola, jogou na seleção de Ibicaraí, Juventus e AESI. Gel é ídolo até hoje, habilidoso, goleador, excelente cobrador de falta, chegou a jogar no Itabuna Esporte Clube e no futebol Mato-grossense, e fez o gol mais bonito do programa Fantástico da Rede Globo, jogando pelo Itabuna contra o Redenção de Salvador. Zé Pereira, Paulo, Toizinho e Pastinha, ambos jogaram nas grandes equipes do nosso futebol.
Betinho e Hallil
Audiley, Madá,  Barrão e Binho, o primeiro de técnica regular, porém de uma determinação incomum, jogou na lateral direita da Seleção de Ibicaraí em vários Intermunicipais e pelo Guarany Esporte Clube. Madá excelente tecnicamente, goleador, era denominado o “xodó da galera”, ostenta até hoje a condição de maior ídolo do Guarany, também pelo Caxias em 1993 e Flamengo em 1998, e foi campeão em ambos, jogou na seleção de Ibicaraí por muitos anos. Barrão se destacou principalmente no Flamengo Força Jovem, lhe faltou compromisso com o futebol, pois técnica tinha de sobra. Binho era muito habilidoso, tinham nas devidas proporções um estilo Madá de jogar, mas, não se dedicou ao futebol. Non Bahia, Paulo Vitor e Gil Brahma, o primeiro goleiro de boa técnica com passagem de destaque pelas seleções de Coaraci e Ibicaraí, passou por duas equipes campeãs da nossa cidade Luxo Esporte Clube e Novo Horizontino. Paulo Vitor teve passagem com destaque pela Seleção de Ibicaraí. Gil Brahma era um zagueiro de muita força de técnica razoável, mas tinha uma boa colocação dentro de campo, jogou em varias equipes do nosso futebol. Reni e Nego, o primeiro jogava no meio de campo, de boa técnica, bom passe, e um excelente cobrador de faltas, foi campeão do intermunicipal de 1981, jogando pela seleção de Ibicaraí. Nego jogava na época em que as equipes atuavam com pontas ele foi um dos melhores que tivemos nesta posição, jogou na seleção de Ibicaraí e foi campeão do Intermunicipal de 1981, teve destaque jogando no futebol de Ibicaraí pelas equipes do Bahia e 22 de Outubro. Kerginaldo e Arlindo, o primeiro esta na lista dos maiores jogadores que tivemos, foi campeão pela seleção de Ibicaraí em 1981, e teve destaque jogando pelas principais equipes do nosso futebol, Guarany e 22 de Outubro. Já Arlindo, jogou na seleção de Ibicaraí, foi destaque na equipe do Flamengo Força Jovem e chegou a jogar no futebol Catarinense. Tivemos Liu e Veio, ambos jogavam na posição de meio campista, tinham futebol parecido, boa técnica, bom passe e algo em comum, jogavam brincando, foram campeões municipais, pela equipe do Caxias em 1993. De uma geração mais recente podemos citar Betinho Damasceno e Hallil, o primeiro jogou pelas seleções de Ibicaraí, de Floresta Azul, Valença, Buerarema em intermunicipais, aqui em Ibicaraí atuou no 22 de Outubro e principalmente no Guarany Esporte Clube onde iniciou as suas atividades de jogador de futebol, e também jogou profissionalmente no futebol catarinense. Hallil atuou na seleção de Ibicaraí e jogou no Guarany Esporte Clube por varias temporadas onde foi campeão.

1 comentários:

  1. MEUS TIOS AMADOS,ORGULHO DA FAMÍLIA MONTEIRO!!!
    AMO VCS!!! PARABÉNS MEUS CRAQUES!!!
    BJBJ!!

    ResponderExcluir

Agradecimentos:

Carlos Lima, Nivaldo Melo+, Miu Alfaiate, Waldir Montenegro, José Raimundo Dias, Adelmo de Tota, Ionaldo Nunes, Eduardo Miranda, Idma Monteiro, Valtaire Alves Moreira, Agnor Barbosa, Jerry Adriane, Antônio Raumundo, Sr. Dedé, João Messias, Ernane Vasconcelos, Naziozênio Raimundo, Idalicio Pascoal, Erasmo Carlos, Péricles Araújo, Carlos Barbosa, Waldemir Rodrigues, Josevan Alves Dias, Edvaldo Moreira da Silva, Ronilson Menezes, Luiz Moura, Antônio Narciso, João Leal, Vivaldo Assunção, Raimundo, Mimi, Mano e Nelito de Floresta Azul, Agnaldo Gama, Josuel Nunes da Cruz, Antônio Lins de Araújo, Profº Julival Pereira, Uracy Costa, Ubaldo Costa, Domingão do Andrezão, José Gilvan Santos, Raimundo da Vila, Profª Márcia, Zé Mago (Faz. Estrela da Paz), Raimundo Nascimento, Aldair Campos, Givaldo Taxista, Morcher do Paraguaçu, Antônio Macário Filho, João Machado, Edmundo Gonçalves, Noélia Costa, Joselito Leal, Jorge Fernandes, Claudionor José de Lima, Ordival Gama, Adonai PM, Adilson da Mata, Portugal Alfaiate, Jardel Oliveira, César Bernardino, Gilson Ribeiro, Waldir (Neném), Elias Dias, Raimundo Conceição, Guilherme da Bandeirantes, Rita Braitt, Tonico e Lali Brito, Dona Rosalina, José Pereira, Edna Cardoso (SESP), Eduardo Reis, Dona Hélia, Paulo Roberto Dias, César Ribeiro, Elpidio Bispo, Moisés Calazans, Regis da Feira, Leda Alves, Álvoro Caldas, Mário Abreu, Rodrigo Conceição+, José Sebastião dos Santos, Arnaldo Esteves, Zenildo Cerqueira (Quiquinho +), Antônio Macedo, Murilo Benevides, Reinalto Souza.

Depoimento:

Eu acompanhei a incansável luta de Sandoval Novais, para a realização desta obra, que tanto engrandece o passado e o presente da história futebolística da nossa querida Ibicaraí. Através desta imensurável força de vontade, é que a pesquisa aqui publicada torna - se um abrir de olhos, em relação à atenção, com que devemos tratar às gerações futuras que hão de se envolver com o esporte, aqui o leitor (a) encontrará a real narrativa, verdadeiramente encontrará a informação colhida literalmente na fonte, sempre narrada a partir de personagens que atuaram diretamente na história é isto que dá notoriedade e credibilidade a esta obra. Sou testemunha das privações a que Sandoval teve que se submeter por amor ao esporte, mas graças a sua perseverança é que o mundo hoje, tomar conhecimento dos bravos heróis do nosso esporte, esta narrativa certamente será imortalizada, e com certeza, em um futuro próximo teremos o reconhecimento e apoio aos atletas da nossa querida Ibicaraí – Bahia.

Mais um pouco da história

Se ligue na melhor