Pages

Futebol na zona rural

Foto: Arquivo Edmundo
Botafogo da Região das Iscas

Com o grande numero de pessoas vivendo na zona rural do município de Ibicaraí, devido o cultivo principalmente do cacau, ao longo dos anos foram construídos vários campos em diversas fazendas do município. Alguns pequenos, outros grandes, e lá se praticava o futebol aos finais de tarde e principalmente aos domingos. Alguns campos mereceram destaques por ser centro das realizações de torneios, campeonatos e jogos amistosos.
Foto: Arquivo Guida
Fluminense das Alagoas    
Da esquerda em pé: Sil, Zé Carlos, Toinho, Ito, Adonias, e Givaldo. Agachados: Demir, Galêgo, Neto+, Aldo e Guida.

Na região das Iscas, em terras de Casimiro Gonçalves Pena, no ano de 1960, foi construído o primeiro campo. Lá algumas equipes realizaram grandes disputas, dentre as quais podemos citar: Palmeiras, Botafogo, Vasco e Flamengo, mais tarde já nos anos de 1990 surgiu o Brasil de Santana. Também alguns jogadores se destacaram, Rejão que disputou o campeonato municipal de Ibicaraí em 1978 pelo Botafogo do Bela Vista, Edmundo, um zagueiro de muita técnica, Bin, Antônio Garrincha, Eron, Índio, Santana, Carlão de Basílio, Bel, Zé Côco, Nêgo Mi, Flau, Zé Fulô e João Branco, goleiro que atuou no Botafogo do Bela Vista no campeonato municipal de 1978. Na região dos Miúdos, tivemos um campo construído em 1959 nas terras de Júlio da Mata, o time do local era o Vasco, onde os jogadores que mais se destacaram foram Djalma, Dudu e Tune, que jogou no futebol ilheense. 

Em terras dos herdeiros de João Viana existia um campo, o time do Corinthias de Santana representava o local, além de Santana, os seus irmãos Davi e Davino, Tonho Gazo, Jairo, Deval, dentre outros, se tornaram os grandes nomes do futebol daquela região, naquela época. Na região das Alagoas em terras de Antônio Ribeiro e herdeiros, foi construído um campo aproximadamente em 1960, lá dois times se destacaram, foram o Flamengo de Aldo e o Fluminense de Guida. Alguns jogadores se destacaram dentre eles Neto, jogador extraordinário, chute forte e muito habilidoso, outro foi Deval, goleador e muito rápido. Nas terras de mestre Alípio também existiu um campo sem muito destaque, pois as dimensões eram pequenas, e lá não se realizavam grandes jogos.

Foto: Arquivo Carlão
Fluminense de Biro - Região do Batista
Da esquerda em pé: Carlão, Sandoval, Chico, Bolô, Sil+ e Biro-Biro. Agachados: Di, Cosme, Nito e Cheli. 

Na região dos Batistas em terras de Satú, foi construído um campo, cujo time da época era o Botafogo que representava o local, já em 1992 foi construído outro campo nas terras de Janelicio Policárpio, lá o Fluminense de Adonias, realizou grandes jogos, e o zagueiro Carlão e o atacante Deval foram um dos grandes destaques, também existiu o time do Íbis, que usava uniforme igual a do  xará  de Pernambuco, e um dos  jogadores de destaques foram: Bêda, Sival  e Zéba. 

Na região da Badiva, foi construído um campo em terras de Hamilton Paixão, lá existia o time cujo nome era o da fazenda, Estrela da Paz, outro time também lá existiu, foi o Palmeirinha, os jogadores que lá jogaram e se destacaram foram, Zé de Fernando, Paderão, Toinho, Bal, Papú, Bico, Gazo, Neno, Regis, Café, Beiju, Peromi e Nêgo João. Nesta mesma região, existia o Vasco de Davi Alexandrino, que disputou torneios rurais, chegou a jogar em Itororó, Almadina, Barro Preto e cidades circunvinhas. 

Próximo, onde hoje se localiza o Bairro Delfino Guedes, existiu um campo em terras de Sebastião Teixeira, na época era tudo fazenda, a construção do campo se deu em 1940, e seu fim foi em 1967 devido a construção da estrada que ligava Ibicaraí a Coaraci.
Foto:Davi Alexandrino
Palmeiras da Badiva    
Da esquerda em pé: Papú, Edilson+, Eurides, Demi, Teco, Dão, Edvaldo, e o Técnico Beto. Agachados: Gil, Givaldo, Cleones, Edvaldo e Nêgo. 

Na região do Jacarandá, dois foram os campos que se destacaram, um em terras de João Lino, o outro em terras de João Milinote. Na região do Luxo existiu um na fazenda Triunfo, propriedade de Dr. Durval Terto, outro em terras de Wilton Araújo construído em 1962. Lá se destacavam os jogadores, Candido, Rafael, João Tucano, José Antônio, Dedé, Nelson, Maninho e Orelino. No mesmo período existiu um campo nas terras de Tiano.

Na região da Saloméa , os campos foram construídos em terras de Fred Gedeon, um campo de dimensões grandes em terras de Estáquio Batista. Na Jussara em 1952 existiu um campo nas terras de Nezito Góes. No Cajueiro, em 1945 nas terras do Coronel Oscar Marinho Falcão, foi construído o primeiro campo. Na região do Batista de baixo, próximo ao Distrito do Cajueiro, na fazenda Boa Vista de propriedade de José Cardoso, em 1965 foi construído um campo, e teve duração até o inicio dos anos 80, lá tinha o time do Batista, cujo jogadores que mais se destacavam eram: Lé um zagueiro e Calixto, atacante goleador e ótimo cabeceador. 

Na região da Serra Verde, entre a região do Batista e das Iscas existiu um campo na fazenda Santo Antônio, cujo proprietário tinha o pseudônimo de Luizinho, isto em meados da década de 70. Lá tinha um time por nome de Santo Antônio do Batista, para homenagear a fazenda, e se fazia a alegria dos futebolistas da época, hoje o campo não existe mais. No final dos anos 70 na fazenda de João de Firme, próximo ao córrego, existiu um campo, palco de jogos amistosos e de disputas em final de tarde entre trabalhadores da região,Lá existia o Flamengo, entre   os jogadores que mais se destacaram podemos citar, o goleiro Jorge Moura que  jogou, até na Seleção de Ibicaraí, Luiz que veio se 
Foto: Luiz Moura
Flamengo - João de Firme 
Da esquerda em pé: João de Firme, Jorge Moura, Carlão, Luiz Moura, Marinho, Cabôclo e Joilson. Agachados: Duda, Zé Almeida, Nilson, Luiz e Guelo.

 destacar no futebol do Clube dos Quarenta sendo uma dos maiores artilheiros de todos os tempos, Luiz Moura um zagueiro de muita raça e Caboclo um lateral veterano mas, de uma técnica diferenciada. Próximo dali, na década de 60, na beira do rio, na Fazenda de Emílio Isabel foi feito o primeiro campo da hoje Vila Santa Isabel.

Na Fazenda Boa Vista, hoje Andrezão, de propriedade dos herdeiros de José de André da Cunha, em 1982 por ideia dos desportistas Enéas e Batista foi criado um campo, e mais tarde devido ao grande numero de praticantes do esporte popular, o campo foi ampliado por outro desportista, apelidado por Beré. Lá foram realizados grandes campeonatos, e torneios, e serviu como um dos campos escolhidos para a disputa do Campeonato Interbairro realizado no ano de 2005, pelo Departamento de Esportes do Município.


Foto: Arquivo Valter Moreira
Paraiso - 1988
Da esquerda: Renan, Ivo, Cézar, Geraldão, Dinho Saruê, Dinho Bradesco. Agachados: Paladino, Leleta, Zé Almeida, Garrincha e Bago. Obs: Torneio campo do Andrezão.

Foto: Arquivo Carlos Lima
Cruzeiro Futebol Clube
Da esquerda em pé: Vado, Zé Butié, Mangangá, Humberto, atrás Messias, Wilson, Jailton, Gil, Vilson e Rodrigo Conceição. Agachados: Macaquinha, Dinho, Dú, Genilson. criança não identificado.

2 comentários:

  1. Anônimo17:48

    palmeiras da fazenda abadiva teco mora em ilheus papu irmao do teco mora em osasco sao paulo elripides mora em osasco sao paulo ass wilsonkokinho@gmail.com

    ResponderExcluir
  2. Anônimo17:59

    wilson email wilsonkokinho@gmil.com
    Palmeiras da Badiva
    flamengo da fazenda abadiva
    csa quando era da cor azul quando jogava no luxo
    alguen tem alguma foto dessas equipe
    e que meu irmao jogava nessas equipe
    o nome dele e papu hoje nois moramos em sao paulo
    no bairro novo alguem deve ter email wilsonkokinho@gmil.com

    ResponderExcluir

Agradecimentos:

Carlos Lima, Nivaldo Melo+, Miu Alfaiate, Waldir Montenegro, José Raimundo Dias, Adelmo de Tota, Ionaldo Nunes, Eduardo Miranda, Idma Monteiro, Valtaire Alves Moreira, Agnor Barbosa, Jerry Adriane, Antônio Raumundo, Sr. Dedé, João Messias, Ernane Vasconcelos, Naziozênio Raimundo, Idalicio Pascoal, Erasmo Carlos, Péricles Araújo, Carlos Barbosa, Waldemir Rodrigues, Josevan Alves Dias, Edvaldo Moreira da Silva, Ronilson Menezes, Luiz Moura, Antônio Narciso, João Leal, Vivaldo Assunção, Raimundo, Mimi, Mano e Nelito de Floresta Azul, Agnaldo Gama, Josuel Nunes da Cruz, Antônio Lins de Araújo, Profº Julival Pereira, Uracy Costa, Ubaldo Costa, Domingão do Andrezão, José Gilvan Santos, Raimundo da Vila, Profª Márcia, Zé Mago (Faz. Estrela da Paz), Raimundo Nascimento, Aldair Campos, Givaldo Taxista, Morcher do Paraguaçu, Antônio Macário Filho, João Machado, Edmundo Gonçalves, Noélia Costa, Joselito Leal, Jorge Fernandes, Claudionor José de Lima, Ordival Gama, Adonai PM, Adilson da Mata, Portugal Alfaiate, Jardel Oliveira, César Bernardino, Gilson Ribeiro, Waldir (Neném), Elias Dias, Raimundo Conceição, Guilherme da Bandeirantes, Rita Braitt, Tonico e Lali Brito, Dona Rosalina, José Pereira, Edna Cardoso (SESP), Eduardo Reis, Dona Hélia, Paulo Roberto Dias, César Ribeiro, Elpidio Bispo, Moisés Calazans, Regis da Feira, Leda Alves, Álvoro Caldas, Mário Abreu, Rodrigo Conceição+, José Sebastião dos Santos, Arnaldo Esteves, Zenildo Cerqueira (Quiquinho +), Antônio Macedo, Murilo Benevides, Reinalto Souza.

Depoimento:

Eu acompanhei a incansável luta de Sandoval Novais, para a realização desta obra, que tanto engrandece o passado e o presente da história futebolística da nossa querida Ibicaraí. Através desta imensurável força de vontade, é que a pesquisa aqui publicada torna - se um abrir de olhos, em relação à atenção, com que devemos tratar às gerações futuras que hão de se envolver com o esporte, aqui o leitor (a) encontrará a real narrativa, verdadeiramente encontrará a informação colhida literalmente na fonte, sempre narrada a partir de personagens que atuaram diretamente na história é isto que dá notoriedade e credibilidade a esta obra. Sou testemunha das privações a que Sandoval teve que se submeter por amor ao esporte, mas graças a sua perseverança é que o mundo hoje, tomar conhecimento dos bravos heróis do nosso esporte, esta narrativa certamente será imortalizada, e com certeza, em um futuro próximo teremos o reconhecimento e apoio aos atletas da nossa querida Ibicaraí – Bahia.

Mais um pouco da história

Se ligue na melhor