Pages

Grandes Jogos

Jogo Ibicaraí X Itabuna em 1972
Muitos foram os jogos realizados desde a velha Palestina, até os dias de hoje, alguns não saem da memória dos desportistas, e vão ser eternamente lembrados, por ter acontecido fatos inusitados, outro por ter representado a conquista de um titulo, individual ou coletivo, e na maioria das vezes por ter sido jogos emocionantes, com um tempero especial, aliando  muita raça e muita técnica. Foi o caso da decisão de 1954, no campo de Ursulino Teixeira, entre as equipes do Pérola de Euclides Rosalino X Flamengo de Hercílio Nunes, cujo placar foi 1 a 0 para o Pérola, gol de Raimundo.

No dia 30 de Outubro de 1956, em um grande torneio da época as equipes dos Comerciários X Bancários se enfrentaram na decisão, vitória dos Comerciários pelo placar de 1 a 0 sagrando-se campeão. Em 17 de agosto 1958, outro grande jogo, clássico local, o Flamengo venceu o Pérola por 1 a 0, com gol do atacante Raimundo. No dia 8 de setembro de 1963, aconteceu um jogo amistoso entre as Seleções de Ibicaraí X Seleção de Itororó, o placar, foi Ibicaraí 6 Itororó 2.

Em 15 de agosto de 1965, valido pelo campeonato daquele ano, entre as equipes do Guarani X Juventus, placar foi 2 a 2, gols de: José Fernandes e Dermival para o Juventus, Lourival e Ailton contra para o Guarani. Neste mesmo ano, em 5 de setembro, o Pérola venceu o Santa Isabel pelo placar de 3 a 1, com gols de: Nelson Gama, Valfrêdo e Gelson para o Pérola, enquanto Adelmo Souza descontou para o Santa Isabel. Já em 12 de dezembro de 1965, o Brasil Esporte Clube da cidade de Firmino Alves venceu o Pérola Futebol Clube por 3 a 1, com gol de Arnol duas vezes e Rute para o Brasil, e Valdenor descontou para o Pérola.
1º jogo da final Cajueiro X Bela Vista em 2000

Em 8 de janeiro de 1967, o Pérola Futebol Clube  venceu o Guarani Esporte Clube pelo placar de 4 a 2. Em 19 de julho de 1970, Pérola enfrentou o Juventus, fizeram um jogo equilibrado e o placar foi 1 a 1, Fernando fez o gol do Juventus e Vitório empatou para o Pérola, o árbitro do jogo foi Salvador Borges. Dia 11 de outubro de 1970, Guarani empatou contra o AESI em 2 a 2, um dos melhores jogos daquele ano. Em 8 de novembro daquele mesmo ano, outro jogo que terminou empatado, Juventus 3 Flamengo também 3, um jogo bastante movimentado, com muitas oportunidades criadas, e muitos gols. Neste ano o Juventus foi campeão invicto, merecendo destaque no jornal A Gazeta Esportiva de São Paulo, com foto, campanha e a relação dos atletas campeões estampada nas suas paginas.

Em 1978, o Bahia ganhou o seu primeiro titulo, vencendo o 22 de Outubro pelo placar de 3 a 2 na grande decisão. Em 18 de Outubro 1981, na sua quarta decisão consecutiva, o 22 de Outubro perdeu para o Guarani, no terceiro jogo, por 2 a 0, com gols de Dadau e Silvio. Em 1988, outra decisão o 22 de Outubro venceu o Guarani, em um gol histórico de Formigão, atacante vindo futebol itabunense que se destacou no futebol da Terra Santa.

Em 1993, no jogo decisivo do campeonato daquele ano, o Caxias venceu o 22 de Outubro pelo placar de 2 a 1 , com gols de Veio e Madá para o Caxias, e Marcos para o 22 de Outubro. Outro jogão aconteceu na decisão do campeonato de 1998 entre as equipes do Flamengo força Jovem 4 X 2 Saloméa Esporte Clube. Em 2000 o Cajueiro conquistou o seu primeiro titulo fazendo a decisão contra a equipe do Saloméa por 1 a 0 gol do atacante Binho, Em 7 de julho de 2002, o Cajueiro consegue o seu segundo titulo contra o Bela Vista com gols de Gel e Robson.

Jogo Ibicaraí 3 X 0 Barreiras - 2011
Dia 12 de dezembro de 2006, na final do campeonato BNEC 1, Novo Horizontino 0, gol de Zé Raimundo. Dia 3 de setembro de 2007, Seleção de Ibicaraí 2 X 0 Seleção de Itarantin, gols de Ronaldo e Rejão. Em 12 de abril de 2009, na abertura do campeonato BNEC e Caxias empataram em 2 a 2, com gols de Zé Raimundo e Allan para o BNEC, Vantuires e Quinho para o Caxias, dia 11 de junho de 2009, 22 de Outubro 3  Santa Isabel 3, foi um dos melhores jogos que existiu na história do Euclidão, no dia 4 de Outubro, Guarani e 22 de Outubro para honrar a velha tradição, fez um jogo típico do maior clássico do futebol Ibicaraiense, placar final 2 a 2.

0 comentários:

Postar um comentário

Agradecimentos:

Carlos Lima, Nivaldo Melo+, Miu Alfaiate, Waldir Montenegro, José Raimundo Dias, Adelmo de Tota, Ionaldo Nunes, Eduardo Miranda, Idma Monteiro, Valtaire Alves Moreira, Agnor Barbosa, Jerry Adriane, Antônio Raumundo, Sr. Dedé, João Messias, Ernane Vasconcelos, Naziozênio Raimundo, Idalicio Pascoal, Erasmo Carlos, Péricles Araújo, Carlos Barbosa, Waldemir Rodrigues, Josevan Alves Dias, Edvaldo Moreira da Silva, Ronilson Menezes, Luiz Moura, Antônio Narciso, João Leal, Vivaldo Assunção, Raimundo, Mimi, Mano e Nelito de Floresta Azul, Agnaldo Gama, Josuel Nunes da Cruz, Antônio Lins de Araújo, Profº Julival Pereira, Uracy Costa, Ubaldo Costa, Domingão do Andrezão, José Gilvan Santos, Raimundo da Vila, Profª Márcia, Zé Mago (Faz. Estrela da Paz), Raimundo Nascimento, Aldair Campos, Givaldo Taxista, Morcher do Paraguaçu, Antônio Macário Filho, João Machado, Edmundo Gonçalves, Noélia Costa, Joselito Leal, Jorge Fernandes, Claudionor José de Lima, Ordival Gama, Adonai PM, Adilson da Mata, Portugal Alfaiate, Jardel Oliveira, César Bernardino, Gilson Ribeiro, Waldir (Neném), Elias Dias, Raimundo Conceição, Guilherme da Bandeirantes, Rita Braitt, Tonico e Lali Brito, Dona Rosalina, José Pereira, Edna Cardoso (SESP), Eduardo Reis, Dona Hélia, Paulo Roberto Dias, César Ribeiro, Elpidio Bispo, Moisés Calazans, Regis da Feira, Leda Alves, Álvoro Caldas, Mário Abreu, Rodrigo Conceição+, José Sebastião dos Santos, Arnaldo Esteves, Zenildo Cerqueira (Quiquinho +), Antônio Macedo, Murilo Benevides, Reinalto Souza.

Depoimento:

Eu acompanhei a incansável luta de Sandoval Novais, para a realização desta obra, que tanto engrandece o passado e o presente da história futebolística da nossa querida Ibicaraí. Através desta imensurável força de vontade, é que a pesquisa aqui publicada torna - se um abrir de olhos, em relação à atenção, com que devemos tratar às gerações futuras que hão de se envolver com o esporte, aqui o leitor (a) encontrará a real narrativa, verdadeiramente encontrará a informação colhida literalmente na fonte, sempre narrada a partir de personagens que atuaram diretamente na história é isto que dá notoriedade e credibilidade a esta obra. Sou testemunha das privações a que Sandoval teve que se submeter por amor ao esporte, mas graças a sua perseverança é que o mundo hoje, tomar conhecimento dos bravos heróis do nosso esporte, esta narrativa certamente será imortalizada, e com certeza, em um futuro próximo teremos o reconhecimento e apoio aos atletas da nossa querida Ibicaraí – Bahia.

Mais um pouco da história

Se ligue na melhor